terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Charlie Hebdo,

A bater na mesma tecla? Talvez, mas isto expressa o meu ver dos ataques:


"A liberdade religiosa e a liberdade de expressão são ambos direitos fundamentais", começou por dizer o Papa, antes de proferir uma outra declaração definitiva: "Não se pode matar em nome de Deus. Matar em nome de Deus é uma aberração."


"É verdade que não devemos reagir com violência, mas se o dr. Gasbarri, que é um grande amigo, ofender a minha mãe, deve estar preparado para levar um soco. É normal. Não se pode provocar, não se pode insultar a fé dos outros. Não se pode ridicularizar a religião dos outros"